Questo sito usa cookie per fornirti un'esperienza migliore. Proseguendo la navigazione accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra OK

Storia

 

Storia
A exigência de fazer conhecer a Itália no imediato Pós-Guerra deu origem ao “Instituto Cultural Ítalo-Brasileiro” (novembro de 1945). O concreto começo das atividades do Instituto, realizado também graças à ótima rede de contatos e acordos com instituições locais, aconteceu em 1948 com o envio, por parte do Ministério das Relações Exteriores e da Cooperação Internacional italiano, de uma figura qualificada em condições de garantir uma orientação e um apoio competentes.

A escolha recaiu sobre o Prof. Edoardo Bizzarri (13/01/1910 – 27/06/1975) que tomou oficialmente a direção do Instituto em 1951.

Desde então uma série de hóspedes italianos ilustrem enriqueceram a vida cultural da cidade com contribuições nos mais diferentes campos da cultura, da arte e do pensamento. Para citar alguns exemplos, lembramos para o teatro Vittorio Gassman, para o cinema Nanni Moretti, para a música o Goffredo Petrassi. Foram depois hóspedes o poeta Giuseppe Ungaretti, que de 1936 a 1942 foi professor de língua e literatura italiana junto à Universidade de São Paulo, o futuro prêmio Nobel para a Medicina e fisiologia, Daniele Bovet. Outras importantes presenças italianas distinguiram-se naqueles anos, como o célebre Adolfo Celi, no Brasil de 1948 a 1963. Lembram-se, por fim, o pintor Cândido Portinari, Pietro Maria Bardi, fundador e diretor do MASP e o arquiteto Lina Bo.

No decorrer dos anos, o Instituto tornou-se um espaço aberto para o encontro de todos os interessados em convívios intelectuais, no diálogo e na livre troca de idéias com espírito aberto e sem alguma discriminação, assumindo as funções de centro de estudos e círculo de cultura com uma ampla biblioteca, atualmente em curso de revisão, que, com os anos, enriqueceu-se e conta hoje com trinta mil títulos, adquirindo assim o reconhecimento de mais importante biblioteca especializada em língua italiana no Brasil.

Em 1990 o Instituto recebeu a visita de renomados expoentes da cultura e da política italiana.Nesse período foram numerosas também as publicações do Instituto, entre as quais a tradução em português de “Literatura Italiana” organizada por um grupo de estudiosos dirigidos pelo Prof. Giorgio Barberi Squarotti. Citam-se por fim Umberto Eco, conferencista no Instituto e professor universitário em São Paulo e o prêmio Nobel Dario Fo.

36